O contraste entre a fé bíblica e a fé pragmática

 

ESTUDO nº 02

CONTRASTE ENTRE A FÉ BÍBLICA E a fé PRAGMÁTICA

A exposição do objecto

         Sabemos que o homem é religioso por natureza, a sua alma tem sede de culto, sede de adorar a Deus. Pena que por causa da ignorância muitas vezes Ele  adora ou a pessoa errada ou forma errada. 

          Adicionado a este instinto de adorador, temos uma cultura religiosa repleta de espiritualidade simplista que resultou em uma verdadeira Babel religiosa. Cada Estado tem os verdadeiros princípios religiosos registrados nas Sagradas Escrituras e que essa mistura adentrou em muitos círculos denominados cristãos.

          Isso explica por que o termo fé tem sido usado de maneira errada em vários segmentos religiosos de nosso país. A nossa vontade de promover conversões, como se isso fosse possível, muitos líderes religiosos têm propagado a fé pragmática com o único objetivo de resultado, são regras ou formas forçadas de fé, de um equilíbrio na mente de pessoas  da corte da Igreja, o que não corresponde com o que as escrituras sagradas chamam de fé. Vejamos  abaixo como isso tem acontecido:

1. FÉ NO HOMEM (FÉ EM FÉ)

        O desejo de promover a mudança é tanta que ele cria um espaço para os super-heróis da fé.São os chamados "homens de muita  fé, como a fé no homem  chamamos aquele sentimento de auto-confiança, a confiar  em se mesmo para a realização de qualquer obra ou  trabalho, seja  uma cura  física ou mesmo a conversão de alguém, este sentimento está  por traz das frases, como: "você NÃO TEM FÉ? você DEVE ACREDITAR MAIS EM DEUS! O HOMEM DE FÉ estará PREGANDO NESTA NOITE! VENHA E você verá AS MARAVILHAS QUE ESTE HOMEM VAI FAZER! " .É o homem confiando no seu próprio  braço para a realização da obra do Senhor.

        Às vezes,  pessoas que realmente são  crentes, que levam o Cristianismo a sério, permanece sempre em dia com sua vida devocional e no seu dia-a-dia não tem nada que as desabonem,  suas vidas sofrem   falsas acusações destes homens de grande fé. Por um motivo ou por outro qualquer, pode acontecer de um dia essa pessoa vier duvidar de qualquer promessa de Deus, pode vir a fraquejar  em determinadas circunstâncias, mas isso não significa que ela não tenha fé, ou  mesmo que ela seja  menos espiritual do que qualquer outra pessoa. Mas, para aqueles que confiam no seu próprio braço, aqueles que depositam a sua confiança na sua fé, para estes, aparentemente qualquer vacilo se resume a falta de fé, falta de espiritualidade.

Mas, como as pessoas esquecem-se  de que às vezes verdadeiros crentes podem se tornar inseguros, até mesmo fraquejar na fé, Jesus em algumas ocasiões exortou os discípulos com palavras como estas: ( homens de pequena fé)Mat 6:30 , 08:26 , 14: 31 , 16:8 , Luc. 12:28. Em outra oportunidade, os discípulos pediram a Jesus: aumenta a nossa fé. Luc 17:5 e ainda no evangelho de Marcos 09:24 um homem disse a Jesus: "Eu creio, ajuda-me na minha falta de fé .

        Devido a estes e outros textos que por vezes, verdadeiros crentes podem não  ter total certeza quanto as muitas promessas do Senhor e ás vezes esta insegurança pode até  ser relativo à salvação. Contudo, continuam a ser crentes  fiéis, piedosos e salvos no Senhor Jesus.

        Este sentimento de autoconfiança, não está em harmonia com a palavra de Deus registrada no Salmo 44:3, que diz: Porque não foi por sua espada que possuíram a terra, nem foi o seu braço que lhes deu a vitória, e sim a sua mão direita, e o teu braço, e o fulgor (brilho) do teu rosto, porquanto te agradaste deles. O profeta Jeremias no capítulo 17:5 também traz uma palavra de condenação à confiança no próprio homem: Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne mortal e o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor.

        Dentre os muitos problemas que este equívoco  provoca,temos o caso  da transferência de culpa ou de responsabilidade, quando algo não está indo bem, principalmente  na vida da Igreja.Pois cria-se a expectativa de que,se trouxermos  o HOMEM DE DEUS, O PROFETA DE DEUS, aquele homem consagrado teremos  as respostas para os nossos problemas, experimentemos  uma Igreja mais saudável, mais dinâmica, como num passo de mágica.Porem sem qualquer alteração ou mudança na vida desta comunidade.

2. FÉ NOS AMULETOS

        Se os reformadores acordassem em nossos dias, pensariam estar vivendo ainda na idade média, pois os mesmos amuletos de seus dias, a mesma pratica ainda persistem. A fé nos objetos representando alguma coisa  não deixa de perder força. Como amuletos  temos alguns famosos como:  o copo de água, as rosas ungidas, os sabonetes, o sal grosso, peças de roupas, documentos , as palavras mágicas ou sagradas (está amarrado; sai em nome de Jesus ...) e uma infinidade de objetos.Fica claro que Jesus é insuficiente e que algo mais é preciso, contrariando toda a bíblia que afirma a suficiência de Cristo.

        O autor de Hebreus define fé como sendo ( A certeza de cousas que se esperam, a convicção de fatos que não se vêem). Após esta definição, ele cita diversos personagens bíblicos e suas ações provenientes da fé no Senhor. Mas no capitulo 12:2 ele nos manda  olharmos firmemente para o autor e consumador de nossa fé, Jesus Cristo,e não para estes homens que poderiam servir-nos de verdadeiros amuletos religiosos.                                                                                           È impressionante a quantidade de objetos, de indumentárias, expressões corporais, e frases (mágicas) que tem feito parte com muita naturalidade do chamado Cristianismo Moderno. Na prática, poderíamos resumir da seguinte forma: a oração não resolve se não impusermos as mãos (não me refiro aos pastores), a oração acompanhada de  um medicamento também não resolve, mas é preciso derramar um óleo ( qualquer ); a vós , que é o nosso maior instrumento de louvor a Deus através do cântico, não basta. Se não houver um ou mais instrumentos, muitas comunidades deixam de louvar ao Senhor através da música; há casos em que a vóz, e os instrumentos, são insuficientes sendo necessário um animador, alguém carismático com domínio de público  que consiga literalmente animar,descontrair o auditório; a freqüência aos estudos  bíblicos e aos cultos de oração tem se tornado cada dia menos  freqüentado de uma forma regular e disciplinada , no entanto,os ausentes, numa tentativa de compensação insistem em marcar um ( jejum )e orações em horários não convencionais para uma reaproximação do Senhor . Todos estes princípios usados são válidos quando usados corretamente, sem a omissão de princípios normativos da palavra de Deus, mas quando isto não os acontece eles não passam de sorte, de amuletos da religião.

        Amados, a fé é difícil de ser explicada, mas é simples ser vivida. Descanse no Senhor, creia somente em Jesus, abandone os amuletos porque eles  só nos distanciam do Senhor.

3. A FÉ SALVADORA

Esta é a verdadeira fé. A fé vinda do alto, dada pelo o Senhor. A fé em Jesus Cristo para a salvação. Algo importante a se ressaltar é que não tem como separar esta fé da palavra de Deus, ambas anda junto. Isto pode ser percebendo em diversas passagens bíblicas como em Isaias, 55:3 (ouvi, e a vossa alma viverá);João 20:31 (estes,porem, foram registrados para que creiais que Jesus é o Cristo...

        A fé se faz importante porque de acordo com o autor aos Hebreus, é impossível agradar a Deus sem fé Heb.11:6 . Tudo o que fizermos se não proceder da fé não tem valor para o Senhor. Esta fé é o meio pelo qual o Senhor nos salvou. Somos preservados, guardados para o dia da ressurreição pelo o poder de Deus mediante a fé. 1. Pe .1:5. Na verdade, a vida Cristã não tem razão de ser, sem a operação da fé em nossos corações e mente.

        Esta fé é chamada às vezes por autores do novo testamento como vir a Cristo. (todo aquele que o pai me da esse virá a mim; e o que vem a mim; de modo nenhum o lançarei fora. João 6:37. Nesta perspectiva ,esta fé é o sair de nós mesmos na direção de Cristo, não mais confiando no nosso braço, ou no nosso mérito, ou em n´s mesmos ,mas confiando somente no Senhor.

        De acordo com João Calvino, o fundador da Igreja Presbiteriana Ele disse que: a fé consiste no conhecimento de Deus, especialmente de sua misericórdia, por isso a fé tem a ver com um relacionamento pessoal com Deus e com Cristo; um conhecimento certo do amor e da misericórdia de Deus em Cristo, não somente um assentimento a verdades não entendidas ou só em partes entendidas; é uma confiança firme ,oposta à dúvida. Toda a sugestão em relação a fé em que haja qualquer obra meritória deve ser rejeitada.

        Porque na verdade, ainda que sejam chamados a responder através da fé, precisamos entender que esta fé salvadora é uma resposta que damos ao chamado de Deus pela aceitação a Cristo.

Esta fé pode ser distinguida em vários aspectos:

        a ) conhecimento- como vou ter uma fé em uma pessoa que não conheço, e não sei nada a seu respeito? É certo que não terei condições de crê em alguém assim. Quando isso acontece, fica claro que não é fé bíblica. Dizer que tem fé em Cristo, ainda que seja de boa intenção, mas não conhecer a Cristo pela sua palavra é simplesmente impossível. Por exemplo: (  um testemunha de Jeová )diz eu tenho fé em Cristo. Mas o Cristo que diz ter fé não é divino, não é Deus, mas somente uma criatura. Podemos chamar isto de fé? Para se crer em Cristo, antes é preciso conhecê-lo, e saber o que Ele fez por nós, só depois poderemos Crê conforme a prescrição bíblica. Por isso já falamos neste estudo que não há como separar fé, da palavra de Deus.

        b ) ASENTIMENTO-

Uma aceitação firmemente dos ensinos da palavra de Deus como verdadeiros. Esta aceitação envolve a pessoa como um todo. Aceitamos o que a bíblia ensina sobre o pecado, sobre Cristo, sobre salvação e sobre Deus para as nossas vidas. Se o conhecimento que temos não inclui  a aceitação destas verdades, nossa fé não é genuína.

        C  ) CONFIANÇA-

A verdadeira fé inclui confiança de que a Bíblia e seus ensinamentos são verdadeiros. A fé olha para fora de si, na direção de Cristo e confia que a salvação está nele, esta confiança leva o crente a descansar completamente no Senhor  Jesus e descansar completamente sem nenhum temor e aceitar tudo o que ele fez por nós.

        É possível ser um crente e vacilar na fé em um ou outro momento? Mat.6:30; Mc.9:24;Lc.17:5

Jeremias descreva o homem que confia em se mesmo para a salvação. O que isto quer dizer? Jer. 17:5

CONCLUSÃO

       Em meio a esta confusão religiosa em que vivemos, onde não existe uma unanimidade nem em questões essenciais da fé Cristã, torna-se necessário um cuidado ainda maior com a nossa vida religiosa. Eu entendo que a melhor maneira de enfrentar-mos  esta Babel religiosa de nossos dias é a velha nova, e a única maneira de se ter um Cristianismo saudável, alegre e leve. É a leitura da palavra de Deus com regularidade acompanhada da oração, o testemunho pessoal, e a comunhão com os irmãos         ( regularidade nos cultos ) . Estas coisas é que tenho chamado de viver a simplicidade do evangelho. Com certeza é isto que mais precisamos em nossos dias, é gratificante voltar-mos para a simplicidade do evangelho.     

         Eu creio que a maior necessidade atual é de uma Igreja rea­vivada e triunfante, e portanto, o assunto tratado nestes sermões é da máxima importância. Fé na fé, constituem uma, recomendação muito pobre para a fé cristã; e não há qualquer dúvida que o regozijo exuberante dos cristãos primitivos foi um dos fatores mais poderosos na expansão do cristianismo.

                                

 

  23/06/2013                   

                                            Ely Gonçalves Lopes  

Leia mais: https://convencao-comademig.webnode.com/estudo-biblico/
Crie seu site grátis: https://www.webnode.com.br

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!